sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"Necessariamente, o sal se dissolve em água" de Alexander Bird

Tradutor: Rodrigo Cid


Neste artigo pretendo mostrar que certa lei da natureza, a saber, o sal comum (cloreto de sódio) se dissolve em água, é metafisicamente necessária. A importância desse resultado é que ele entra em conflito com a intuição largamente compartilhada de que as leis da natureza (a maioria, se não todas) são contingentes. Tem havido debates sobre se algumas leis, tal como a segunda lei da Newton, podem ser definições de seus termos-chave e, portanto, serem necessárias. Porém, a lei de que o sal se dissolve em água não é uma lei desse tipo. A lei ‘o sal se dissolve em água’ é claramente sintética. Ela parece um caso clássico de uma lei contingente. Nós estamos inclinados a acreditar que há mundos possíveis nos quais as leis da natureza são diferentes e nos quais o sal não se dissolve em água.


Citação: Bird, Alexander (2001). "Necessariamente, o sal se dissolve em água". Tradução Rodrigo Cid. Argumentos: vol. 4, n. 8, pp. 250-256, 2012 (publicado originalmente em inglês em Analysis: vol. 61, n. 4, pp. 267-274).

Nenhum comentário:

Pesquise artigos filosóficos na internet

Loading