domingo, 26 de dezembro de 2010

Resenha de: SOBER, Elliot (2008). “Freedom, Determinism, and Causality”. Core Question in Philosophy: a text with readings. 5 ed. New Jersey: Prentice Hall, 2008.

A primeira tese de Sober é que não podemos agir livremente, a não ser que o Argumento da Causalidade ou o Argumento da Inevitabilidade tenham alguma falha. O Argumento da Causalidade é o seguinte: nossos estados mentais causam movimentos corporais; mas nossos estados mentais são causados por fatores do mundo físico. Nossa personalidade pode ser reconduzida à nossa experiência e à nossa genética. E tanto a experiência, quanto a genética, foram causados por itens do mundo físico. Assim, o meio ambiente e os genes são os causadores de nossas crenças e desejos. E estes, por sua vez, causam o nosso comportamento. Como, em última instância, não escolhemos nem os nossos genes e nem o meio ambiente no qual adquirimos as nossas experiências, também não escolhemos o nosso comportamento: ele é causado por fatores além do nosso controle; o que nos faz não ser livres. E o Argumento da Inevitabilidade é exposto por Sober assim: se uma ação foi praticada livremente, então deve ter sido possível ao agente agir de outra forma. Mas dado que as causas de nossas ações são as nossas crenças e desejos, não poderíamos ter agido diferente de como elas nos determinam a agir.




Este texto pode ser lido na íntegra aqui.



Referências: CID, Rodrigo (2010). "Resenha de SOBER, E. 2008. Freedom, determinism, and causality. In: E. SOBER, Core Question in Philosophy: A Text with Readings. 5ª ed., New Jersey, Prentice Hall, p. 293-302. Disponível em: http://criticanarede.com/eti_livrearbitrio.html. Acessado em: 06/03/2009". Filosofia Unisinos: vol. 11, n. 3, pp. 300-302.



Um comentário:

Fernanda Ribeiro disse...

Gostei daqui, estou seguindo, se der passe pelo meu, www.umaformadepensamento.blogspot.com

Obrigada.

Pesquise artigos filosóficos na internet

Loading