sábado, 20 de novembro de 2010

Gibbard e a identidade contingente

Um pedaço de barro solta-se de um grande barranco, formando por coincidência, e ao mesmo tempo, uma estátua de Machado de Assis. Três dias depois a estátua é completamente destruída; ao ser atingida por um machado ela se parte em vários pedaços. Chega ao fim, então, a existência tanto da estátua como do pedaço de barro da qual ela é feita. Notemos que ambos vieram a existir ao mesmo tempo e também ao mesmo tempo deixaram de existir. No período de tempo que existiram tudo o que aconteceu a uma aconteceu a outra.

Nenhum comentário:

Pesquise artigos filosóficos na internet

Loading