sexta-feira, 23 de março de 2012

O Dilema da Continuidade da Matéria

Autor: Rodrigo Cid

Neste texto pretendo apresentar o Dilema da Continuidade da Matéria e uma possível solução para ele. Tal dilema consiste em termos de escolher entre dois infortúnios para a explicação da continuidade da matéria: ou dizemos que os objetos materiais são infinitamente divisíveis e não explicamos o que constitui a continuidade de algum tipo de objeto, ou dizemos que há um certo tipo de objeto indivisível e não explicamos o que constitui a continuidade de tal objeto. A solução que fornecemos é justamente a tese de que os objetos materiais são constituídos de pontos; como os pontos não são contínuos, não precisamos explicar a sua continuidade. A dificuldade que teremos, então, será mostrar como pontos sem extensão podem formar as coisas extensas, dificuldade esta que pretendemos abordar.


Citação: Cid, Rodrigo (2011). "O Dilema da  Continuidade da Matéria". Revista do Seminário dos Alunos do Programa de Pós-Graduação em Lógica e Metafísica da UFRJ: n. 2, artigo eletrônico 2.

3 comentários:

Marcos disse...

Boa tarde, Rodrigo.

Este tema é interessante. Eu diria que, na verdade, este problema da continuidade (entendida como propriedade dos corpos materiais) da matéria esteja dentro de um problema maior: da composição dos corpos, conforme você mesmo escreveu no primeiro parágrafo: "do que é feito x?". Sabendo o porquê de este ou aquele corpo ser tal como é (onde se incluem as propriedades quantitativas, como a extensão, e as qualitativas), teremos alguma explicação para o problema apontado da continuidade da matéria.

"[...] teóricos que acreditam que a matéria é infinitamente divisível e os que acreditam que há um estado último da matéria impossível de ser dividido." Infinitamente divisível ela não é, o que atrai o problema de Aquiles e a Tartaruga. O problema gira em torno deste "estado último da matéria", ou em termos propriamente filosóficos: "corpo simples".
Enfim, o seu questionamento cai sobre o hilemorfismo: substâncias corpóreas sendo constituídas de dois princípios complementares: a forma e a matéria. Não sendo o materialismo suficiente para responder a questão da composição dos corpos, resta estudar o hilemorfismo.

Boa empreitada!

rodrigo cid disse...

Oi, Marcos.

Obrigado por seu comentário. Agora que vc falou isso, talvez seja o caso que eu já tenda para um hilemorfismo, já que os átomos metafísicos são pensados por mim como pontos, que são algo como formas, e não matéria. Seria vários pontos em relação que dariam a continuidade da matéria. Será que isso seria dizer que a matéria é constituída da relação das formas? E será que isso implicaria que é possível haver uma multiplicidade de indivíduos sob a mesma forma sem que haja matéria? Realmente há ainda muitas coisas para se pensar. :D

Marcos disse...

Entre no meu blog (http://letraseciencia.blogspot.com.br/2012/02/hilemorfismo-materia-e-forma.html) onde você lerá sobre o hilemorfismo. Talvez as ideias ali expressas ajudem na compreensão deste problema da continuidade da matéria.

Sugestões são bem vindas também.

Pesquise artigos filosóficos na internet

Loading