quinta-feira, 14 de julho de 2011

Conhecimento objetivo em Mark Bevir


Autor: Gustavo Freitas Pereira
As reflexões de Mark Bevir sobre o método em História das Idéias têm se destacado. Seu trabalho parece absorver boa parte das diretrizes fundamentais propostas por Quentin Skinner e John Pocock, muito embora proponha modificações. Por outro lado, este autor não desconsidera a contribuição de autores como Hans-Georg Gadamer e Michel Foucault, aproximando-se em um primeiro momento, afastando-se deles mais tarde. Um exemplo desta característica é a abordagem de Bevir sobre o problema da objetividade histórica. Bevir compartilha inicialmente quanto ao ceticismo de Foucault e Gadamer com relação ao empirismo e ao positivismo, mas oferece uma solução que busca atenuar ou até mesmo dissolver posturas compreendidas como irracionalistas ou relativistas. Reconstruímos a argumentação de Bevir apresentando suas linhas gerais. Em seguida, propomos algumas críticas a estas idéias, defendendo que a justificativa epistemológica de Bevir para o conhecimento histórico pode não ser consistente ou suficiente.


Citação: Pereira, Gustavo F. (2011). "Conhecimento objetivo em Mark Bevir". Investigação Φ  Filosófica: vol. 2, n. 1, artigo digital 2. 

Nenhum comentário:

Pesquise artigos filosóficos na internet

Loading